+De volta ao inferno e daí para o CCBB Novamente na Rua Santa Efigênia, de novo para comprar conectores de rádio freqüência, enfrentando a fileira infinita de diabinhos vendendo cartuchos reciclados para impressora, CDs e DVDs piratas. Hoje não teve bolinho de bacalhau no bar do Leo. Na volta passei no Centro Cultural do Banco do Brasil. Como só abria ao meio dia fiquei perambulando pelo área bancária, que fica estranhamente vazia no sábado. Um dia vou lá para fotografar esse vazio, talvez consiga imagens interessantes. No CCBB comprei ingressos para a ópera "O Anjo Negro", de João Guilherme Ripper, com libreto baseado na peça de Nelson Rodrigues. O elenco é de primeira, incluindo Sebastião Teixeira (barítono), Rubens Medina (tenor), Andrea Ferreira (soprano), Regina Elena Mesquita (mezzo-soprano) e Maude Salazar (soprano). A música virá de um conjunto de câmara. Gosto de óperas com pequenos conjuntos em espaços pequenos como o CCBB. "O Homem dos Crocodilos" de Arrigo Barnabé, em que a mezzo-soprano Céline Imbert deu um show de talento, foi lá. Ripper tem pelo menos outra ópera que deve ser muito interessante, "Augusto Matraga", sobre tema de Guimarães Rosa. Será que alguém já compôs uma ópera sobre Macunaíma?