+Eu vi o profeta! Foi segunda feira passada. Richard Stallman falou a uma grande platéia no auditório do SENAC na Rua Dr. Vila Nova em São Paulo, discursando contra as patentes de software. Stallman é o presidente da Free Software Foundation e guru do projeto GNU, que se propõe a desenvolver software livre. (Free as in freedom, not as in free beer). Ele tem o physique du rôle, cabeludo, barbudo, um Antônio Conselheiro digital. Seus argumentos contra as patentes de software são muitos e convincentes. Ele mostrou como as grandes corporações subvertem o conceito de patente, que em vez de proteger o inventor, acaba por perpetuar o monopólio dessas empresas sobre formatos e pequenos detalhes de funções de software que tornam seus produtos incompatíveis com qualquer coisa (alguem ouviu a palavra Microsoft aí?). A luta da Free Software Foundation no mundo todo é pelo fim das patentes de software onde elas existem e pela não adoção do conceito nos outros países. A pregação é particularmente importante na Europa, onde está na pauta do Parlamento Europeu e aqui, onde a criação da ALCA deve fazer aumentar a pressão americana pela uniformização das leis de propriedade intelectual, especialmente patentes. Há vinte anos, quando lançou o projeto GNU Stallman era visto como um Don Quixote, hoje o software livre está em toda a parte. Este weblog, por exemplo, roda em um sistema operacional GNU/Linux. Hoje Stallman está novamente e como sempre enfrentando os moinhos de vento e dragões em nome da liberdade. Pensando bem, há pouca coisa mais de esquerda hoje do que usar e principalmente escrever software livre. -¡viva la revolución!