+Alerta contra a Insegurança do Sistema Eleitoral Informatizado Nós costumamos trepudiar os norte-americanos e a embrulhada que foram as eleições presidenciais na Flórida, nos vangloriando da velocidade e eficiência de nossas eleições informatizadas, mas alguém aí já parou para pensar se o sistema eletrônico que usamos é seguro e garante a lisura das eleições aqui? Bem, um grupo de professores e cientistas de computação está seriamente preocupado com isso e com a possibilidade de, em nome de mais eficiência, ser aprovada uma lei que dispensa o registro em papel das eleições, tornando o sistema todo simplesmente inauditável. Ora, o que queremos de um sistema eleitoral é que ele seja democrático e limpo, não necessariamente rápido ou eficiente. O sistema de urnas eletrônicas nunca foi submetido a análise pública e aberta, ao contrário, tem vários componentes que são caixas pretas, de modo que é praticamente impossível aferir sua segurança e, consequentemente, a lisura das eleições nele baseadas. Recomendo a leitura do artigo do Prof. Michael Stanton no Estadão de 17 de setembro para entender o motivo de preocupação desse grupo de cientistas. Está na hora de parar com a euforia ufanista e por os pés no chão e a cabeça no lugar, porque senão, logo mais estaremos sendo governados não por quem elegemos, mas por quem contratar os melhores hackers.