+Varrendo o lixo acumulado Durante as férias pouco acessei a Internet. Embora houvesse um computador ligado permanentemente no hotel, eu resisti bravamente à tentação. Umas poucas vezes, porém, foi inevitável sentar diante de um teclado para tratar de assuntos profissionais. Na primeira vez tinha que procurar uma mensagem de meu sócio em meio a pilhas de lixo acumuladas em minha caixa postal. Diacho, estava pagando por minuto num Cyber Café (ou melhor, Cyber Água-de-Coco) para apagar SPAM! Até que desisti em favor de uma limpeza em regra da caixa postal quando voltasse de viagem. Esse é um dos aspectos mais podres do e-mail marketing como os publicitários mal informados e pior intencionados gostam de chamar: quase todo o custo cai sobre quem recebe as mensagens. O pior é que parece não haver solução plenamente satisfatória para o problema. Filtros de conteúdo, listas negras de endereços IP, tudo isso são paliativos. Enquanto houver provedores de acesso que não tem ou tendo não exercem políticas de uso aceitável proibindo o SPAM continuaremos a ter nossas caixas postais eletrônicas bombardeadas por essa propaganda porca.