+Versos livres, haicais e microcontos de principiante
navegar sem rumo
mas para que o rumo
se o que importa é o navegar?
.oOo.
memórias de um passado
que talvez nunca tenha existido
senão na imaginação.
os fantasmas nem mais atormentam
tranquilamente convivemos
e vez ou outra até conversamos
sobre coisas banais.
.oOo.
pingüim de louça
em cima da geladeira
solene reina
tempo de morangos,
manhã fria, céu azul,
esperando amoras.
.oOo.
... e aí aquela indisgraziata foi lá em casa e quebrou tuttos os meus elefantinhos ...
.oOo.
Todos os dias pela manhã ele abria a porta para pegar o jornal, mas naquele dia não havia jornal, nem havia mais a porta e, vendo bem, ele percebeu que não havia dia.