+Fêtons la jeunesse Consegui fazer duas coisas hoje, acompanhar a parada gay e assistir a ópera "Romeu e Julieta" de Gounod no Teatro Municipal, junto com meus pais. Felizmente mamãe está se recuperando bem da cirurgia a que foi submetida e se divertiu bastante. A parada foi muito legal, felizmente os deuses conspiraram uma tarde ensolarada, mandando uma massa de ar polar, frio e seco, empurrar para longe as nuvens que ontem molharam de garoa a festa das lésbicas (mas que também foi muito divertida, só que não fiquei para o show porque Alice Ruiz e Alzira Espíndola no CCSP eram prioridade, mas adoraria ter ficado pela Laura Finocchiaro). Fiz algumas fotos, menos do que no ano passado, até porque tinha pressa em chegar ao Municipal. Tive a chance, graças a Déia, uma querida amiga lésbica, e sua namorada, Lan, de subir num dos caminhões e fazer fotos de um ângulo inédito para mim. Nem preciso dizer que Déia e Lan estavam transbordando de alegria. Aguardem, provavelmente amanhã as fotos estarão na Web. (já estão!) No teatro municipal pensei "mas que programa maluco esse meu, o que tem a ver a parada gay com uma ópera do século XIX sobre Romeu e Julieta?" e a resposta me veio num estalo, claro!, estamos falando de amores proibidos ou reprimidos e que (por vezes) deságuam em tragédia por motivos alheios a tais amores! tem tudo a ver! E um verso do começo da ópera então fez toda a ligação entre o que rolava na Paulista e na Consolação e no palco do teatro: "fêtons la jeunesse", festejemos a juventude! isto não está na ópera mas eu acrescentaria "fêtons la liberté"!