+O Internet Explorer fede! Este weblog, bem como um bom número de sitios, depende para sua própria formatação de uma tecnologia conecida como "folhas de estilo em cascata" ou cascading style sheets, conhecido no meio pela sigla CSS, e que serve para contar para o navegador como as coisas devem ser apresentadas na tela em termos de cor, forma, posicionamento, etc. A norma técnica mais importante que define CSS é a recomendação do W3C Cascading Style Sheets, level 1 de dezembro de 1996, revista em janeiro de 1999, um documento com quase oito anos. Nas CSS o programador visual pode especificar medidas de largura ou altura dos elementos em várias unidades: pixels, pontos tipográficos, relativa a altura dos caracteres ou porcentagens. Ao especificar larguras em porcentagem a norma é bem clara:
5.5.23    'width'

Value:  |  | auto
Initial: auto
Applies to: block-level and replaced elements
Inherited: no
Percentage values: refer to parent element's width
isto é, a largura de um elemento expressa em porcentagem deve se referir ao elemento ascendente, isto é, que o contém. Assim, se eu tenho um bloquinho de texto de largura 50% dentro de uma divisão cuja largura é de 200 pixels então a largura de meu bloquinho é de 100 pixels, certo? Errado, se o navegador for o Internet Explorer da Microsoft! A Microsoft, do alto de sua "sabedoria", resolveu mandar a recomendação do W3C às favas e definiu que a medida porcentual se refere à largura da janela. Consequentemente muitas páginas desenhadas perfeitamente dentro das normas técnicas não se apresentam corretamente no Internet Explorer. Os webdesigners gastam considerável tempo criando gambiarras para superar esse e dezenas de outros erros do Internet Explorer, quendo a Microsoft é quem deveria consertar seu programa. Mas não sejamos exigentes demais com a Microsoft, eles não tiveram muito tempo para consertar seu programa, afinal, o que são oito anos...