+O casamento da dona Venda
Venda Casada: Consiste na prática de subordinar a venda de um bem ou serviço à aquisição de outro. O praticante da venda casada produz barreiras à entrada de concorrentes potenciais no mercado ou empecilhos à expansão dos concorrentes já presentes.
-- da Cartilha do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)
De vez em quando recebo no escritório folheto de propaganda da Dell anunciando seus produtos. Quase sempre o folheto vai para o lixo mas hoje resolvi folheá-lo e encontrei um modelo de notebook que me interessou muito, bem simples, sem frescura e, principalmente, relativamente barato. Liguei para o 0800 da Dell e conversei com uma vendedora que não escondia seu sotaque gaúcho e que já estava quase fechando a venda quando eu perguntei se tinha mesmo que vir com o Windows, uma vez que eu pretendia usar o computador com Linux. Ela disse que a Dell não instala Linux em computadores portáteis, só em modelos de mesa e servidores. Argumentei que não precisavam instalar o Linux, eu mesmo o faria em casa pois tenho os CDs e tenho alguma experiência no ramo, então eles poderiam mandar o computador sem nada no disco, sem CD de instalação e, naturalmente, com o preço da licença do sistema operacional deduzido do total. Não teve jeito, ou comprava com o Windows ou não tinha negócio. Por último perguntei se a licença poderia ser transferida para outro computador, se eu poderia revendê-la, por exemplo, para alguém interessado em esquentar uma cópia pirata. Depois de ligar para não sei quem do jurídico, ela disse que não, o contrato com a Microsoft amarrava a licença à máquina. Nesse ponto eu desisti da compra. Afinal, posso passar sem um notebook e não pretendo dar nem um tostão para a Microsoft por um produto que eu não vou usar. A coisa não é assim só na Dell. Os demais fabricantes nacionais também fazem venda casada (no civil e no religioso) com a Microsoft. Mamãe, cadê o CADE?