+A toca do coelho de Alice Fui ver ontem à noite "O Guia do Mochileiro da Galáxia" filme sobre o livro de Douglas Adams, The Hitchhiker's Guide to the Galaxy. Mochileiro? para mim hitchhiker é caroneiro, mas há mais licenças na tradução de títulos de filmes do que licenças poéticas ou mesmo de licenças de motorista. O filme tem o ritmo e o humor do Monty Python, e, como costuma ser em adaptações de livros, é menos engraçado que o original, mas pega o essencial do absurdo da vida, do universo, de tudo. Os fãs de Adams, creio, de modo geral vão gostar. É engraçado ver em filme imagens que eu tinha imaginado antes, lendo o livro. Pensava no robô depressivo, Marvin, mais parecido com o C3PO, não como a figura bonitinha do filme, nas duas cabeças de Zaphod em dois pescoços distintos, etc., com o livro a gente cria as imagens, com o filme as imagens estão lá, goste ou não. Ficou meio esquisita a narração em português dos trechos do guia por José Wilker. Meu cérebro fica meio embananado chaveando rápido de uma língua para outra. Talvez devessem distribuir babelfishs na entrada do cinema.