+Se correr o bicho pega Estamos vivendo tempos interessantes. O governo federal se meteu numa sinuca de bico, numa situação que os enxadristas chamam de zugzwang, em que se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Saídas? Sei lá, mas não queria estar no couro do Luís Inácio. Enquanto em Brasília o bicho se prepara para pegar ou comer, aqui no Trópico de Capricórnio tudo vai bem. Vai tão bem que a mais cara loja do país, e certamente entre as mais caras do planeta, quiçá de todo este setor da Via Láctea, era inaugurada ao lado de uma favela. Que tal sujar uma saia de quatro mil reais (sim, algo perto da bagatela de mil e seiscentos dólares) com respingos de molho? Bem, se for do Fasano, pelo menos vai ser coerente.