+Ratos, protejam-se! Soltaram os gatos! O Brasil dos últimos dias nos surpreende a cada milissegundo. De denúncias de mensalão à prisão da dona da Daslu (já está solta), as notícias se multiplicam. O que está acontecendo neste país em que desde o descobrimento até há pouco os ratos comiam seu queijo impunemente? Quem soltou os gatos? O diretor da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência), Mauro Marcelo de Lima e Silva, foi demitido por dizer umas poucas verdades sobre a inteligência dos membros da CPI dos Correios como "bestas-feras em pleno picadeiro". A CPI convocou um agente secreto da ABIN para depor em uma sessão aberta. Ora bolas, um agente secreto depondo em uma sessão pública, deixa de sê-lo! Eu conheci Mauro quando eu trabalhava para a RNP e ele era delegado de polícia em São Paulo e pediu nossa ajuda em um caso de crime eletrônico. Gente fina, mas de pavio curtíssimo, era um dos gatos à solta. Outros gatos soltos são os promotores do Ministério Público, em geral jovens, ainda não corrompidos, com uma independência como nunca tiveram nesta nossa estranha república, e com muita vontade de construir carreiras como advogados. Esses meninos e meninas surpreendem. Os constituintes de 1984 bem que poderiam ter feito menos besteira a aprovado, por exemplo, o voto distrital com recall. De acordo com quem fosse eu estaria já assinando a lista para depor o deputado de meu distrito. Também poderiam tem criado o instituto de dissolução do parlamento e convocação antecipada de eleições, medida que caberia perfeitamente nas atuais circunstâncias, mas não se podia esperar muito dos ratos de então, legislando para os ratos de agora. Afinal, trata-se do mesmo queijo.