+Rock'n'roll will never die Ontem foi o dia mundial do rock, vivo, bem vivo, desde Chuck Berry, Bill Halley & the Commets, Little Richard et al. até os dias de hoje, o rock'n'roll faz cinqüenta anos. Cinqüenta anos tenho eu, o rock é tão velho ou tão novo quanto este blogueiro. Para comemorar, ouvi na íntegra a ópera Joe's Garage de Frank Zappa, um daqueles músicos maravilhosos para quem os gêneros musicais tem, como diria em conversa com Patricia Palumbo, fronteiras fluídas. Zappa misturou rock, blues, música de concerto contemporânea e barroca, tudo num liquidificador psicodélico. Joe's Garage que conta a história de uma banda de garagem, a quintessência mesma do rock, resumida em alguns dos versos da abertura:
Down in Joe's Garage
We didn't have no dope or LSD
But a coupla quartsa beer
Would fix it so the intonation
Would not offend yer ear
And the same old chords goin' over 'n' over
Became a symphony
Long live rock'n'roll!