+Nas ondas imaginárias do rádio Faz tempo que gosto de rádio, então, dando tratos à bola, bolei alguns programas, que infelizmente nenhuma rádio ainda pôs no ar. Nenhuma? bem, se Rosaly Senra da Rádio da UFMG por acaso passar por aqui, pode copiar algumas das minhas idéias para a programação. Bem, nada também impede que o acaso seja ajudado por um e-mail!
Coisa de Maluco
Ou Abriram a porta do hospício como título alternativo. É um programa musical, quase como outro qualquer, só que só toca coisa de doido, Raul Seixas, Mathilda Kóvak, Carlos Careqa, e música doida produzida por não-doidos ou por casos limítrofes tipo Rita Lee, Premeditando o Breque, etc.
Reclame Haicai
No meio dos anúncios, entra um fundo musical tipo Cage, Berio, Stockhausen, ou ainda música eletrônica. Alguém com voz distante recita um Haicai, pode ser tradução de algum clássico japonês, Leminski, Alice Ruiz, Millor Fernandes, ou ainda contribuições dos ouvintes mandadas por e-mail. Duração total: 15 segundos.
Ilustre Desconhecido
Programa de entrevista, com pessoas absolutamente desconhecidas, num tremendo papo cabeça. A entrevista é constantemente interrompida por barulhos de celular, garçom servindo alguma coisa, enfim, cheia de imprevistos.
Música improvável
Coisas que você jamais ouvirá em outra emissora, por exemplo, In-a-gadda-da-vida na íntegra (17 minutos!) ou Classe Média Requentada de Mathilda Kóvak e Lucinha Turnbull que a Patricia Palumbo se recusa a apresentar no seu Vozes do Brasil (Ok, admito, PP, você tem razão em não querer tocar em seu programa uma música em que tem solo de violão de brinquedo e galinhas no coral).