+Ai meu ombro II (ou, aventuras ortopédicas na voz de um bardo principiante) -Um homem com uma dor
É muito mais elegante
Caminha assim de lado
Com se chegando atrasado
Chegasse mais adiante
--Leminski
Começou bem de repente
com uma dor esquisita.
- meu, para de fazer fita,
dor que quase nem se sente!
 
mas antes que ela insista
e me deixe invocado,
consultei, aqui do lado
um famoso ortopedista.
 
ressonância, raio xis,
disse o doutor, na lata:
"eu já sei do que se trata
teu ombro tá por um triz,
 
é capsulite adesiva,
pro teu ombro consertar
o negócio é operar,
senão fica mais lesiva!"
 
quase tive um xilique
meu ombro ele quer furar!
- doutor, outro jeito, há?
- só se a dor que tá, que fique!
 
no hospital, o anestesista
aplicou uma injeção
o resto não sei mais não
não tem quem a isso resista
 
acordei com o ombro furado
três buracos bem à vista
belo serviço de artista
que se faz no operado
 
fui ver, tudo tava lá,
vai que troca artroscopia
por uma penectomia!
sabe, confa pode dar!
 
ainda estava muito tonto
parecendo pobre néscio
chamando Jesus "Genésio"
e trocando nó por ponto
 
voltei pro quarto, mas óia,
enquanto espera sarar
quieto tive que agüentar
o braço numa tipóia
 
depois que voltei pro lar
susto de cair no chão
do suvaco até a mão
hematoma a espalhar!
 
braço todo dolorido
todo pintado de roxo
entre amuado e xoxo
disse pro dotô "que é isto?"
 
me garantiu que é normal
e que com o tempo sara.
- tá gozando da minha cara?
dói pra burro, animal!
 
A coisa aí não termina
pois depois da cirurgia
tem a fisioterapia
para o ombro ficar "em cima".
 
me atende moça bonita
acho que tirei na sorte
só que a danada é forte
puxa, empurra, entorta e estica
 
qualquer coisa aí confesso
o depoimento assino
que eu fui o assassino
do oriente expresso!
 
e tome choque, tome gelo
no meu ombro, coidadinho
queria sair de fininho
mas aqui não tem apelo
 
paciência, não desespera
pro tratamento dar certo
pro ombro ficar esperto
e eu voltar a ser quem era.