+O por do Sol O sol de que falo é a Sun Microsystems. Li na imprensa, primeiro no sítio da BBC, agora na Folha, que a Oracle, que só perde para a Microsoft na indústria de software comprou a Sun. O que a comunidade de informática esperava era uma fusão com a IBM, mas a quase certeza de que isso levaria a um complicado processo anti-truste, tirou a IBM do jogo. A Oracle passa a ter uma linha de servidores e clusters avançados para rodar seus bancos de dados, bem como programas de automação de escritório através da subsidiária alemã da Sun que produz o OpenOffice. Há quem tema pelo futuro do banco de dados MySQL, de outra subsidiária da mesma Sun na Suécia. Se a Oracle considerar o MySQL como um produto concorrente, pode se mover na direção de exterminá-lo. Não é grande coisa, pois os fontes do MySQL são disponíveis publicamente pela GNU/GPL, de modo que a comunidade hacker poderá continuar a desenvolvê-lo com ou sem a Oracle (mas é bem melhor com). É uma pena que a Sun saia de cena. Lembro que no começo doa anos 90 quando trabalhava no INPE meu primeiro computador pessoal digno do nome (eu tive um Apple-II antes) foi um Sun IPC, que seria uma carroça comparado aos PCs de hoje, mas que era uma beleza na época. Com uma tela de respeitáveis 1152×900 pixels, era uma enormidade para quem vinha de terminais VT240 de 80 colunas por 24 linhas de texto. Mais tarde o IPC foi trocado por uma estação Sparc-II e recebemos o primeiro servidor SparcCentre no Laboratório de Tratamento de Imagens Digitais, cujo administrador de rede, o Moacir, batizava os computadores com marcas de uísque. Parecia conversa de bêbado quando alguém falava "eu transferi o arquivo do glenfiddich para o lagavulin". Antes dos computadores da Sun eu havia trabalhado com equipamentos da também falecida Digital, primeiro os PDPs 15 e 11 no IPT em São Paulo, depois o VAX-11/780 já no INPE. A Sun lembrava a Digital antes dela, como diria, por gravata e sair do mundo acadêmico onde se originou e ir para o mundo corporativo, onde afundou. Tinha o sabor das coisas novas e da criatividade temperada com senso de humor, por exemplo, se você mandasse abrir a calculadora com a opção -analog aparecia na tela um simulador de régua de cálculo, em que se podia mover o cursor com o ratinho! (provavelmente alguns dos leitores deste blog nem tenham idéia do que seja uma régua de cálculo). Mais tarde veio o IBM PowerPC, depois saí do INPE e nunca mais usei um computador da Sun.